Quem sou eu

Minha foto
São Miguel dos Campos, Alagoas - Brasil, Brazil
BIÓLOGA/PSICOPEDAGOGA/EXTENSIONISTA EM GESTÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE.

Sejam bem vindos!

Sintam-se a vontade para comentar as postagens e participar das enquetes.
Este Blog estará sempre em construção buscando inovações que venham satisfazê-los. Enviem também, sugestões através do e-mail: cnubia@hotmail.com
Obrigada!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Educação em Crise. De quem é a culpa?


Apontar culpados é fácil! O difícil é reconhecer que também temos culpa.
Do que adianta só reclamar, se continuamos de braços cruzados? Cada um, não só pode, mas deve se mobilizar e fazer a sua parte! Exigimos os nossos direitos, no entanto, deixamos muitas vezes de cumprir com os nossos deveres. Que cidadão é este, que cobra da escola a “Educação” dos filhos?
A escola tem o dever de “Ensinar”! “Educar” é obrigação exclusivamente dos pais! Que exemplo podemos dar aos nossos filhos quando mandamos que façam algo de uma forma, e nós, seus pais, fazemos o oposto?
Como dizem os mais velhos em sua sabedoria: "Educação vem de berço!" E não, a frase usada por muitos, para justificar seus erros: "Faça o que eu digo, mas não faça, o quê eu faço!" Será que esses pais, ainda não se deram conta, que são “espelhos” para seus filhos? Adianta ensinar para os filhos que não devem jogar papel no chão, se eles próprios ao desembalar um bombom, joga a embalagem pela janela do carro? Um outro exemplo seria: Se você está em um transporte público, acompanhado do seu filho adolescente, ambos sentados, e entra na condução uma senhora idosa, o quê você faz? Finge não vê-la para não ter que sair do seu comodismo? Ou cede o lugar?
Se você educou bem seu filho, com certeza, partirá dele a atitude de ceder o lugar. Porque ele aprendeu com você que, os mais velhos devem ser tratados com cuidado e respeito, e já deve ter visto, muitas de suas ações a respeito disso. Atitudes positivas diante dos filhos contribuirão muito para sua formação educacional, já que a tendência é a imitação das boas ações. Este, com certeza, será um ponto positivo de sua colaboração para o currículo da vida deles!
Aos pais, aconselho participarem mais da vida de seus filhos! Conversem com eles e peçam suas opiniões. Deem a eles, aquele crédito de confiança que vocês gostariam de ter recebido de seu pais. Conquistem sua amizade. Mas, saibam dizer "Não", quando necessário! Esta, também é uma forma de amar e pode até livrá-los de apuros! Devemos impor limites, mas sem constrangê-los! É com diálogo que conseguiremos encontrar uma boa saída para ambas às partes. Façam com que eles sintam-se à vontade para fazer-lhes perguntas. Mas, se você não souber responder ou ficar constrangido, quando o assunto for, por exemplo: “sexo”, peça auxílio a uma pessoa próxima a vocês que domine o assunto. Tudo tem que ser explicado de forma simples, direta e verídica. Ainda, mas, se seus filhos forem adolescentes!
Como professora de biologia e psicopedagoga, pude perceber em sala de aula, como muitos jovens são desinformados neste tipo de assunto, e são muito carentes de afeto e atenção. E, que, essa agressividade que muitas vezes afloram através de suas palavras e atitudes, são para encobrir essas carências. Eles não gostam de serem expostos! Querem a todo custo mostrar que são fortes e que não precisam de ninguém.
Faço aqui, um apelo aos meus colegas professores, que estejam sempre atentos aos seus alunos em sala de aula. Principalmente aos indisciplinados! Antes de lhes aplicar punições, ouça-os! A indisciplina é uma forma de chamar a atenção, principalmente dos pais, que muitas vezes, são omissos por acharem que a escola tem a obrigação de educar. Ou porque, são realmente leigos na situação e não sabem como agir. De qualquer forma, peço que tenham paciência e procurem ajuda de um especialista o mais breve possível.
Ao detectar problemas comportamentais em alguns dos meus alunos, passei a abordá-los para conversar. Senti que, com essa minha atitude, os aproximei mais de mim e adquiri deles confiança e um comportamento melhor não só na escola, mas, em casa também. Pois, fui procurada por alguns pais pessoalmente, e também, através do meu Orkut e MSN para conversar sobre os mesmos. É bom saber que, com as palavras certas, podemos chegar ao coração desses jovens e ajudá-los a valorizarem-se e a buscarem o melhor caminho para suas vidas.
Quando encontramos um ex-aluno na rua, e ele nos aborda dizendo: “_O que sei e sou hoje devo também a senhora professora, através de seus ensinamentos e incentivos. Obrigado!” É muito gratificante ter esse reconhecimento numa época em que ensinar tornou-se um grande desafio.

Um comentário:

Cremilda disse...

Parabéns Cláudia!Vc está certíssima em protestar contra o discaso com o ensino.Fui sua aluna e sei o quanto é dedicada,vc sabe controlar uma sala de aula sem gritar ou usar palavras desconfortáveis com os alunos como muitos faziam...Acho que professores como vc devem ser mesmo reconhecidos...As escolas deveriam fazer tipo uma premiação para o melhor professor do ano eleito pelos alunos...Eu acho que isso tb seria um bom insentivo!obs não valeria para os professores corrúptos, vc entende né?bjs te adoro!